domingo, 26 de fevereiro de 2012

Curiosidades



Artista que se preza já teve pelo menos, uma vez, suas jóias roubadas. Sofia Loren, por exemplo, foi surpreendida na cama, por ladrões que pretendiam reunir o útil ao agradável. Liz Taylor quando usava seu famoso diamante de 69 quilates, levava um detetive à tiracolo. Mas o maior roubo que se tem notícia envolveu somente uma troca de turbantes e um diamante de nada menos do que 800 quilates. Por volta do ano 1600, Nadir Xá (da Pérsia, é claro) invadiu e conquistou a Índia então sob domínio dos mongóis. 

O objetivo da invasão era a busca do diamante Kor-I-Noor (Montanha de Luz). Os dias se passavam e os invasores não conseguiam descobrir onde estava o diamante. Mas nada como uma concubina de um imperador mongol (ou de qualquer “imperador”) com dor-de-cotovelo. A moça contou ao Xá que a pedra estava escondida no turbante do soberano vencido. 

O Xá ofereceu, então, um banquete durante o qual propôs ao imperador mongol trocarem de turbantes (sinal de cortesia ,paz e amizade entre os orientais, na época). E lá se foi o Koh-I-Noor que acabou repousando, séculos depois, na coroa da Rainha Mãe da Inglaterra.

25ª Avaliação Internacional de Joias acontece em março, em novo local !


Olá amigo cliente gaúcho! Nos dias 20 e 21 de março, pela primeira vez no Shopping Iguatemi (1º piso), em parceria com a Casa Masson, estarei participando da 25ª Avaliação Internacional de Jóias. Como sempre, com a maior discrição, de forma personalizada e exclusiva, eu estarei avaliando e realizando possíveis compras de jóias antigas e diamantes. Por favor, faça seu agendamento prévio pelo telefone (51) 3334-5353, a partir das 10h ou pelo email avaliacao@masson.com.br Aguardo você lá no Shopping Iguatemi!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Avaliação


Eu estarei sempre ao seu dispor para avaliar sem compromisso e sem ônus suas jóias antigas e diamantes. De forma discreta e personalizada. Basta agendar. Pelos telefones 0800-7013557 / (21) 8143-4201 / (21) 2541-3192. Muitas vezes é lá do fundo do baú que surgem maravilhas insuspeitadas.  

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Como reconhecer o valor de um diamante?




Um avaliador com experiência internacional considera os já célebres quatro “C” em inglês:

Cut (formato da lapidação – brilhante, navette, baguette, oval), Colour (cor), Clarity (pureza) e Carat (quilate – a medida de peso para pedras preciosas. Um quilate corresponde a um quinto de grama). A partir dessas informações básicas entram a sua expertise (época, grife, raridade no formato, e outros fatores que só um especialista reconhece). 

Para se ter uma idéia os diamantes mais valorizados são os brancos azulados, claros como água, sem impurezas e bastante raros.  Mas as pedras surgem em 23 tonalidades. As oito primeiras são tão semelhantes aos branco azulados que só o olhar de um profissional experiente poderá diferenciar. O preço cai em cada uma dessas oito colorações magníficas, imaginem! Existem diamantes coloridos (azul-safira, preto e amarelo canário) e belíssimos e raros, são os diamantes com uma leve pitada de rosa. E o mais incrível: não existe na Natureza diamante algum idêntico a outro. Cada diamante é único. 

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Vida longa às pérolas


Dizem que até mesmo ela, a Rainha Elizabeth II da Inglaterra procura não usar tão frequentemente suas jóias com pérolas para prolongar ao máximo a vida dessas maravilhas. No entanto as pérolas devem e podem ser usadas nas grandes ocasiões ou mesmo com alguma constância desde que limpas e guardadas da forma apropriada. E qual seria essa forma? Pois bem. Vamos lá. 

  • Utilizar somente os tecidos seda ou lã bem suave, que por sua maciez e por não deixarem resíduos são benéficos às pérolas. Ao contrário, por exemplo, do algodão, que contém acidez e solta fibras. 
  • Jamais guardar as pérolas acondicionadas em sacos plásticos. Essa substância ocasiona o ressecamento das pérolas que contém água entre seus componentes! 
  • O correto é cada vez após o uso de um colar, pulseira, brincos, broches, enfim qualquer jóia que tenha pérolas naturais (conhecidas como “verdadeiras”), passar sempre um paninho seco, feito de lã ou seda (vale repetir), para remover possíveis resquícios de ácido úrico (decorrente do suor humano), perfume ou outras substâncias que possam agredir sua beleza ou deteriorá-las. 
  • Em seguida, guardá-las em saquinhos sempre feitos de seda ou lãzinha. Dessa beleza e magia. 

Eu conheço ainda outro método perfeito para conservar as pérolas... Mas, por enquanto, é segredo da minha família!

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Alô, alô Porto Alegre - Urgente!



Em meados de março estarei em Porto Alegre promovendo um evento de avaliação, com a habitual discrição e de forma personalizada, em parceria com a Casa Masson. Os agendamentos podem ser feitos pelo telefone (51) 3334-5353 ou pelo email avaliacao@masson.com.br.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Partilha de joias com sabedoria



É um momento delicado. Os familiares próximos ainda estão abalados.  Ou então alguém que possua muitas jóias deseje partilhá-las entre  filhos, netos, sobrinhos. Em geral se pensa: “esse meu colar tem muitos diamantes” (esmeraldas, água-marinha, rubis, que pedra preciosa seja). “Vou mandar desmanchá-lo e dar uma pedra para cada filho  (ou neta ou neto, ou irmã), mesmo sendo um colar tão antigo”.  Não façam e nem deixem ninguém da família fazer algo similar. Uma jóia perde imediatamente seu valor . E perde mais ainda o valor se for uma peça assinada por uma grande casa joalheira . Uma jóia antiga, com destaque para as criações art déco, tem seu valor diminuído ao serem avaliadas se tiverem sido modificadas ou tenham passado por reforma numa tentativa de “modernização”. Aconselho a todos que façam sempre, primeiro, uma avaliação da peça inteira e depois decidam o que fazer com o valor alcançado. 

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Como surgiram os fragmentos da eternidade?




Os interessados sabem que diamantes são puros cristais de carbono. Mas como surgiram há cerca de 70 milhões de anos na superfície do então jovem planeta chamado Terra? Em torno dessa época, átomos de carbono começaram a cristalizar-se a 200 mil metros de profundidade sob a ação de elevadíssima temperatura e pressão. Nasciam os diamantes. Explosões subterrâneas fizeram com que atingissem à superfície da Terra por meio de chaminés vulcânicas. Lá eles permaneceram ao sabor da erosão. A erosão, por sua vez, de maneira tipicamente feminina, distribuiu esses cristais de carbono com mais generosidade aos continentes da sua preferência.

Somente 800 a.C os indianos, atraídos talvez pelo brilho incomum daqueles pedaços de rocha, encontraram os primeiros diamantes em aluviões na região de Golconda. Batizaram-nos “fragmentos da eternidade”, pois cedo perceberam sua extrema dureza (só um diamante corta outro) e infinda durabilidade. Os antigos livros de magia negra atribuíam à pedra poderes de força e coragem quando usada do lado do coração. O diamante logo tornou-se conhecido de outros povos da Antiguidade e, posteriormente, chegou à Grécia e à Roma. Os gregos denominaram a pedra de “adamas”. Invencível.  E assim os diamantes permanecem até hoje: invencíveis em raridade, dureza, valor e beleza.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

In natura & os pioneiros da lapidação dos diamantes




Os diamantes foram usados “in natura” para enfeitar tronos, coroas e espadas até o final do século XIV. Por serem raros, eram símbolos de poder, riqueza e amor só sendo dignos de soberanos.  Acredita-se que foram os venezianos os primeiros a “lapidar” a pedra, despertando o seu “fogo adormecido”. Agnès Sorel, cortesã e amante de Charles IV, da França, foi uma das primeiras mulheres a exibir um colar de diamantes.

Acompanhe nosso blog, porque a História dos diamantes vai continuar . O Brasil chegou a ocupar por mais de um século o posto de primeiro lugar no mundo como produtor de diamantes...