terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Como surgiram os fragmentos da eternidade?




Os interessados sabem que diamantes são puros cristais de carbono. Mas como surgiram há cerca de 70 milhões de anos na superfície do então jovem planeta chamado Terra? Em torno dessa época, átomos de carbono começaram a cristalizar-se a 200 mil metros de profundidade sob a ação de elevadíssima temperatura e pressão. Nasciam os diamantes. Explosões subterrâneas fizeram com que atingissem à superfície da Terra por meio de chaminés vulcânicas. Lá eles permaneceram ao sabor da erosão. A erosão, por sua vez, de maneira tipicamente feminina, distribuiu esses cristais de carbono com mais generosidade aos continentes da sua preferência.

Somente 800 a.C os indianos, atraídos talvez pelo brilho incomum daqueles pedaços de rocha, encontraram os primeiros diamantes em aluviões na região de Golconda. Batizaram-nos “fragmentos da eternidade”, pois cedo perceberam sua extrema dureza (só um diamante corta outro) e infinda durabilidade. Os antigos livros de magia negra atribuíam à pedra poderes de força e coragem quando usada do lado do coração. O diamante logo tornou-se conhecido de outros povos da Antiguidade e, posteriormente, chegou à Grécia e à Roma. Os gregos denominaram a pedra de “adamas”. Invencível.  E assim os diamantes permanecem até hoje: invencíveis em raridade, dureza, valor e beleza.